Aconteceu no SINESP
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Com o avanço da pandemia, a evidência de que o pico de contágio ainda está distante e que nos meses de maio e junho pode haver colapso dos sistemas de saúde público e privado, a SME tem que atender os Sindicatos e negociar a situação dos trabalhadores e das unidades.

Há inúmeras situações a ser discutidas e negociadas, em nome da segurança, da saúde e da vida, do combate à pandemia e das dúvidas quanto ao cumprimento do calendário letivo.

A realização urgente de uma Mesa Setorial de Negociação da Educação, com formato não presencial, foi cobrada pelo SINESP em conjunto com outras entidades em ofício a SME. Não houve encaminhamento e os Sindicatos exigem uma resposta!

O Ministério Público informou que está em andamento a Representação/Denúncia promovida pelo SINESP no dia 20 de março, que diz respeito especialmente à obrigatoriedade de plantões nas escolas.

Em 13 de abril, o SINESP voltou a recorrer ao MP, solicitando suspensão dos plantões estabelecidos nas Instruções Normativas 13 e 15/SME, em consideração à proteção física e emocional dos servidores e de seus familiares.

O direito à alimentação escolar a todas as crianças matriculadas na rede pública é outra preocupação do SINESP, que ganhou reforço importante com a recente liminar do Tribunal de Justiça SP nesse sentido. As ações continuam junto à comunidade escolar para que a decisão seja efetivada.

Quanto ao ensino à distância e à entrega de apostilas encaminhada pela SME sem nenhuma discussão com a Rede e com os Sindicatos da categoria, o SINESP reafirma que a medida é perigosa na educação pública e não pode ser aceita como normal. A exigência de negociação está posta a SME, que não pode se aproveitar de uma situação de crise para impor modelos emergenciais, de olho no permanente.

Veja AQUI o comunicado do SINESP à categoria

Veja Também:

Ensino à distância é perigoso na educação pública e não pode ser aceito como normal

O direito à alimentação escolar é de todas as crianças

Pandemia avança e SME tem que atender Sindicatos e negociar situação dos trabalhadores e das unidades

Comentários   

# Tatiana 16-04-2020 12:23
Então e continua sendo um absurdo uma creche funcionar normalmente colocando em risco vidas de funcionarios e seus familiares ,simplesmente para atender 6 crianças.
Onde está o cuidado com os profissionais da educação .lamentavel
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault