Aconteceu no SINESP
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O SINESP comunicou ao Ministério Público do Estado de São Paulo, no dia 22 de abril, o falecimento recente de colega Gestora Educacional, que estava em atuação em plantão em sua Unidade Educacional na DRE JT.

Reiterou o pedido de determinação imediata de suspensão dos plantões presenciais, até em cumprimento à Constituição Federal, que determina razoabilidade na duração dos prazos dos processos judiciais ou administrativos.

 Veja AQUI o ofício protocolado na SME nesta data solicitando fim dos plantões presenciais nas Unidades de Trabalho.

Veja AQUI nova representação apresentada ao Ministério Público comunicando falecimento e solicitando imediata manifestação pela suspensão os plantões nas Unidades de Trabalho.

Desde o dia 20 de março de 2020, o SINESP vem atuando junto ao Ministério Público, por meio de duas Representações, visando a determinação de imediata suspensão dos plantões tornados obrigatórios pelas Instruções Normativas SME nºs 13 e 15 /2020.

O SINESP externa aos familiares, entes queridos, aos colegas de trabalho, assim como a toda a categoria, sinceros e profundos sentimentos pelo ocorrido com nossa colega.

E repudia as atitudes insensíveis da Secretaria Municipal de Educação e da Prefeitura de SP em manter plantões presenciais nas Unidades de Trabalho da Educação e nas mais diversas secretarias, quando todos poderiam estar em teletrabalho e afastados de contatos e riscos de contaminação.

Como afirmou o Sociólogo Rudá Ricci em entrevista ao Portal do SINESP, é equivocada a exigência do governo, de presença de Gestores, pessoal administrativo e e de limpeza nas unidades escolares.

O contato próximo de profissionais em locais fechados pode gerar contaminação pelo Covid19. Essa decisão pode gerar nova onda epidêmica. É uma profunda falta de respeito com os trabalhadores da educaçao e escarnio com a vida humana!

A Diretoria do SINESP e seu Departamento Jurídico continuarão a acionar a Secretaria Municipal de Educação e o Ministério Público para garantir negociação nas decisões relacionadas à atual situação extraordinária imposta pela pandemia de coronavírus, que exige isolamento social e fechamento das escolas.

 

O protocolo no Ministério Público está sendo feito por email (comprovante abaixo) devido à adesão o órgão à quarentena.

ProtocoloMP

Comentários   

# Maria de Fátima Guim 22-04-2020 18:25
É um absurdo, falta de humanidade e respeito para com a vida das pessoas.
A Prefeitura, na figura dia Prefeito, é responsável pela saúde dos funcionários que ainda permanecem na escola!
Responder | Responder com citação | Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault