Nossas Escolas, Nossos Gestores
Tools
0
0
0
s2sdefault

Veja apresentação do projeto pela Coordenadora Pedagógica Lucinéia da Silva Santos, filiada do SINESP:

COMUNIDADE ESCOLAR EVOLUINDO

Foto 1 SiteOs projetos realizados no CEU EMEF Senador Teotônio Vilela, DRE FÓ/BRASILANDIA, têm como objetivos apresentarem e discutirem sequências didáticas preparadas pelos professores e  acompanhadas pelo Coordenador Pedagógico.

Para contemplar os territórios do saber optamos pela seguintes experiências educacionais: artes visuais , brincadeiras inclusivas , cidadania e participação, clube de leitura, cinema, vídeo, culinária, música, a rádio Zap, peças teatrais. A parcerias com a UBS local gerou palestras sobre orientação sexual, prevenção de Dengue, Zica e Chicungunia, de acordo com o Projeto Político Pedagógico.

As atividades que compõem os projetos ajustam as linhas de ensino "análise da linguagem e as línguas" e "compreensão e produção de textos escritos e orais." A expectativa é que os projetos propostos com os alunos mediados pelos professores identificam as atitudes que fundamentam o trabalho com textos.

Quando pensamos em valores, crenças, suas vivências, praticamos o respeito ao outro. Todas perguntas podem ter diferentes respostas, quando fazemos algumas transformações sociais. Temos de ter objetivos claros e princípios, de onde queremos chegar. O nosso bairro apresenta problemas sérios que precisam fazer a comunidade ter posturas diferenciadas com as ações planejadas com muita dedicação.

O bairro Jardim Paraná, situado na Brasilândia, periferia da Zona Norte de São Paulo, dentre suas dificuldades tem saneamento, moradia, e famílias que trabalham em bairros distantes e que vieram para o bairro para melhorar as suas condições de vida. Se a escola não muda, não experimenta novos domínios cognitivos. Temos também de pensar no ser humano e sua ética, solidariedade. Acredita-se que se os educandos não produzem conhecimentos e aprendem com as diferenças, não precisam passar por situações de exclusão.

Pensa-se que o aluno não é oco por dentro, e quando eles nos auxiliam quais são as vivências. Não existe aprendizagem se não for significativa para o ser humano. O espaço escola é rodeado por pessoas e com elas vêm uma herança social.

Mudar é difícil, porque a pesquisa precisa ser pensada. Pensar no diferente causa indisciplina e não pode ser confundida com autoritarismo. Os resultados das discussões possibilitaram que os estudantes obtivessem um grande avanço na leitura, escrita e tiveram oportunidade de desenvolver sua criatividade, autonomia que deve ser entendida sempre auxiliada com o outro.

A formação do professor deve ser cuidada e para isso eles precisam estar descansados e com uma jornada onde ele possa ter tempo para ser pesquisador com eficácia.

Ler o outro e as diversidades culturais religiosas e políticas e os direitos civis já vem muito antes do ambiente escolar. O trabalho aqui defendido auxilia e possibilita uma melhor visão global para o exercício da cidadania permeando a dignidade e identidade de cada pessoa, pois vivemos em uma sociedade onde a pluralidade cultural é nítida o que a meu ver não é uma tarefa tão simples assim. O propósito desse trabalho é a leitura de textos literários, jornalísticos, receitas, jogos, e multimodais. No mundo atual o trabalho baseado nos direitos de aprender.

O direcionamento de práticas de leitura já começam muito antes de chegar na escola. As atividades foram realizadas individuais e em grupo, além de serem apresentadas de forma dialogada com os alunos e professores, socializando conhecimentos no Projeto Especial de Ação.

O método de trabalho com projetos é uma forma de organização e condução do trabalho docente muito importante no cenário educativo atual e tem merecido atenção de muitos autores como Hernandez & Ventura (1999); Antunes (2001); Nogueira (2001); Bello & Bassoi (2003) .

Conclui-se que investindo em formação profissional, utilização das novas propostas curriculares e o trabalho com a intertextualidade faz com que os alunos tornam- se “letrados para a vida e a cidadania “.

PEA 2016 POSTER Site 

Lucinéia da Silva Santos

Coordenador Pedagógico

Referências

FREIRE, Paulo. Ação cultural para a liberdade e outros escritos. Tradução de Claudia Schilling. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1968.

HERNANDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: os projetos de trabalho. Porto Alegre: Artmed,1998

KATO, Mary da leitura. São Paulo, Martins. O aprendizado Fontes, 1985. No mundo da escrita — uma perspectiva psicolinguística

 

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault