Aconteceu no SINESP
0
0
0
s2sdefault

Diretores dos Sindicatos representativos dos Profissionais da Educação da Rede Municipal de Ensino receberam o médico sanitarista Pedro Tourinho em live, transmitida pelo YouTube, nesta quarta, dia 10 de março. Os dirigentes Christian de Mello SznickNorma Lúcia Andrade dos Santos representaram o SINESP. 

Defendendo a greve pela vida, o especialista destacou que agora é o momento mais sombrio desde o início dessa pandemia. O ponto central, segundo Tourinho, é que quando há período de aceleração da infecção, de aumento de número de casos, qualquer medida que implicar no aumento da circulação de pessoas e do contato entre elas, mesmo que em condições relativamente seguras, aumenta a circulação do vírus e a condição de insegurança. Além disso, é preciso avaliar os impactos dessa aceleração do virus no sistema de saúde e a capacidade que esse sistema tem para lidar com o problema em questão.

"Nesse momento, estamos lidando com o vírus em aceleração e também estamos lidando com o sistema de saúde, em sua totalidade, no estado de São Paulo, em condição de absoluto desgaste, absoluta sobrecarga, e não seria exagero dizer, em COLAPSO. Portanto, não tem justificativa para não falar nesse momento de outra coisa a não ser LOCKDOWN, de medidas muito contundentes de interrupção da disseminação do vírus, além de medidas para garantir a adoção das medidas de proteção social que sabidamente são medidas que vão impactar e proteger a situação das pessoas que são impactadas de forma mais severa"

Norma Lúcia Andrade dos Santos, diretora do SINESP, destacou que a categoria tem vários inimigos: um é o vírus, com as novas cepas, e o outro são os que querem as escolas abertas nesse momento.

"São mais de 2 mil mortes em 24h, pessoas morrendo abandonadas, em filas, sem nenhuma assistência, profissionais de saúde escolhendo quem vão salvar. O cientista Miguel Nicolelis disse que o Brasil é a bomba-relógio da pandemia. O SINESP nunca se calou diante dessa bomba. O governo simplesmente deixou isso acontecer e agora quer nos levar nesse caos, em que famílias, docentes e crianças estão indo para a morte"

"Falta de infraestrutura, de limpeza... A nossa luta é contra o desmando do governo. A greve está crescendo. Tivemos comando de greve hoje em Itaquera e na região do Jaguaré. Além disso, estamos atendendo de forma ininterrupta o filiado e colocamos atendimento jurídico para orientação na greve. Também entramos com ação na Justiça e precisamos que aqueles que não estejam na greve, venham para o movimento. Estamos trabalhando para isso, para termos êxito. E o primeiro êxito são as escolas fechadas e aí, com elas fechadas, todos e todas em teletrabalho, em defesa da vida e da saúde da comunidade".

Ações do SINESP 

O SINESP tem realizado diversas ações durante a greve. A Dirigente Norma destacou ao longo da Live:

1- O SINESP entrou na justiça com liminar para que todos fiquem em teletrabalho. Mesmo sem liminar, a ação continua tramitando;

2- Realizamos reuniões virtuais e presenciais (com toda segurança) com as unidades educacionais e equipes de supervisores;

3- Mantivemos o atendimento ininterrupto ao filiado;

4- Convocamos o jurídico para realizar atendimento especializado, orientando nas especificidades de cada unidade.

5- vencemos a ação da contagem de tempo para benefícios.
Apesar de tudo, a situação é grave e exigiu a decisão por greve em nossa assembleia.

Norma enfatiza ao final de sua fala Nossa força está na união. Contamos com você.  Escolas fechadas já.

 

>>> Veja a live na íntegra, clicando aqui

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault