Aconteceu no SINESP
0
0
0
s2sdefault

Mesmo com 88,3% de ocupação das UTIs paulistas, cerca de 30 mil pessoas internadas (cerca da metade em UTI) e mais de MIL mortos por dia no Estado, SME mantém a reabertura das escolas para a próxima semana!

O anúncio da saída da fase emergencial, voltando à fase vermelha, foi feito em coletiva de imprensa sobre o Plano São Paulo realizada por representantes do governo do Estado de São Paulo na sexta-feira, dia 9 de abril, e coincide com o pior momento da pandemia no País, que já alcança a marca de 350 mil brasileiros mortos pela covid-19, 80 mil só no nosso Estado!

Vacinação precisa incluir toda categoria! 

Nem a iminente falta de insumos sensibiliza a Secretaria Municipal de Educação, que usa a desculpa de atender os mais necessitados para justificar a reabertura, desculpa essa que vem sendo usada por empresários para reabrir também unidades da rede privada. 

A antecipação da vacinação dos profissionais da Educação em dois dias, com novo início marcado para este sábado, dia 10 de abril, não atende a necessidade de segurança da vida e da saúde da categoria, visto que a imunização só se dará em alguns meses. 

SINESP cobra inclusão da Supervisão Escolar na vacinação

Diante do momento sem informações precisas enviadas pela Secretaria Municipal de Educação, a rede recebeu a informação de exclusão da Supervisão Escolar do cronograma de vacinação.

O Supervisor Escolar, na rede municipal de São Paulo, é lotado em órgão intermediário, Diretorias Regionais de Educação, onde atende as equipes das unidades educativas e munícipes, de modo geral. Além disso, faz parte de suas atribuições visitas rotineiras, para acompanhar o funcionamento das unidades educacionais, com atendimento, in loco, de toda a comunidade educativa, sejam eles, educandos, educadores, pais/responsáveis, equipes gestora, docente e de apoio. Sendo assim, está em contato direto com diversas pessoas, com itinerâncias em diferentes lugares, ou seja, um profissional da educação que está na linha de frente, no front da pandemia. Portanto, eles têm o direito à preservação de sua saúde assim como os demais profissionais que atuam nas Unidades Educativas. É inconcebível que não sejam incluídos na vacinação antecipada.

O SINESP reivindicou a garantia de direitos para inclusão dos Supervisores Escolares (clique aqui e veja o ofício). SME em resposta indicou que o Governo do Estado ainda fará inclusão em futuro cronograma da Supervisão Escolar.  


Precisam ser resolvidas outras questões como:

●a ausência de vários grupos de profissionais no comunicado, como os dos MOVAs, do quadro de apoio e os vigias,além dos Profissionais em DREs e orgão central;

●a falta de acesso ao holerite por quem teve desconto da greve, cuja impressão é exigida para fazer o cadastro da vacinação;

●o recorte em 47 anos para a vacinação, inexplicável porque não há recorte de faixa etária para o trabalho, nem separação nas unidades ou algo que sustente esse decisão arbitrária;

●a ausência de um cronograma para a vacinação da totalidade da categoria.

Essas e outras questões têm de ser resolvidas imediatamente com discussão e negociações verdadeiras!

A GREVE CONTINUA!

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault