Aconteceu no SINESP
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Estado de São Paulo é o que tem a maior quantidade de idosos e adultos com problemas de saúde e comorbidades que estarão em perigo com a volta às aulas: cerca de 2,1 milhões de pessoas.

O já anunciado retorno dos alunos às aulas deve colocar em risco 9,3 milhões de idosos (60 anos ou +) e adultos com problemas de saúde no Brasil. É o que indica uma pesquisa do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgada pelo site de notícias G1 (Leia matéria completa clicando aqui). Isso representa 4,4% da população do país. Foi avaliada a chance de indivíduos adultos pegarem a Covid-19 por viverem na mesma casa que crianças e adolescentes em idade escolar.

Segundo a Fiocruz, o estado de São Paulo é o que tem a maior quantidade de adultos e idosos que estarão em risco com a volta às aulas: cerca de 2,1 milhões de pessoas. Em seguida: Minas Gerais, com 1 milhão; Rio de Janeiro, com 600 mil; e Bahia, com 570 mil. Por outro lado, o Rio Grande do Norte é o que tem a maior porcentagem da população na situação: 6,1% do total.

Os pesquisadores analisaram dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para fazer o recorte de adultos com problemas de saúde e idosos que moram junto com crianças e adolescentes de 3 a 17 anos de idade. Os problemas de saúde considerados foram diabetes, doenças do coração ou do pulmão.

>>> LEIA MAIS:

>>> São Paulo não vive bom momento para reabertura de escolas, afirma matemático da FGV

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault