Aconteceu no SINESP
0
0
0
s2sdefault

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foi vitimada mortalmente pela política do governo e avisa que vai fechar por falta de recursos, situação que atinge todo o setor de educação pública do país e as estatais ameaçados pela privatização.

Ao aprovar o menor orçamento para a Educação em relação às outras pastas, ainda com um bloqueio de 18,4%, o governo inviabilizou o funcionamento da universidade. Com isso, além de impedir os brasileiros de estudar, ataca as instituições responsáveis pelo desenvolvimento de estudos e pesquisas, da inteligência brasileira.

As Universidades Públicas se destacam, por exemplo, pelo papel fundamental no combate ao coronavírus, liderando pesquisas e apresentando soluções. Também estão na ponta do atendimento aos doentes.

A UFRJ, que está prestes a fechar as portas, disponibilizou testes moleculares padrão RT-PCR, e a rede particular, não. O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, ligado a ela, instalou um novo CTI, que atende mais de 100 leitos de enfermaria para tratar pacientes de covid-19.

Obscurantismo e atraso

Ao cortar verbas, sucatear e abandonar as universidades, o governo destrói o pensamento e a pesquisa no país. Isso, associado à ausência de uma política de reindustrialização, relega o Brasil ao submundo da dependência científica e tecnológica de outras nações, e seu povo à condição de trabalhador braçal, mão de obra barata para o mundo.

Justamente quando a tecnologia muda completamente as relações de produção e de trabalho em todo o planeta, esse governo regride o Brasil à posição de celeiro, produtor de produtos primários por uma população semiescravizada, com leis trabalhistas e direitos destruídos.

É uma regressão ao período colonial, antes da década de 30 e da campanha “o petróleo é nosso”, que desencadeou a construção de estatais básicas para o desenvolvimento nacional, como a Petrobrás e a CSN, além do fortalecimento dos Correios.

É a mesma política que destrói serviços públicos e estatais

O que esse governo faz vai no sentido do atraso. Atende a interesses específicos do presidente e sua família e busca agradar os donos do capital através do ministério da economia.

Trata-se de atender expectativas de empresários, bancos e transnacionais, aplicando o mais selvagem neoliberalismo, com a destruição total da legislação e da justiça trabalhista, promoção da informalidade e da precariedade, constituindo uma massa de trabalhadores baratos e conformados como base para a extração do lucro máximo pelas corporações empresariais.

Destruição da Educação

É nesse contexto que deve ser visto o desmonte da escola púbica no país. Os cortes de verbas, os investimentos insuficientes na estrutura escolar e na contratação de educadores e demais profissionais da educação, aliados a iniciativas como a instituição de vouchers, indica o caminho trilhado no sentido da privatização da educação, da entrega do setor aos grupos privados nacionais e estrangeiros.

Pela virada

A CPI da Covid caminha a passos largos para criminalizar o governo no trato da pandemia. As pesquisas mostram que a aprovação governamental está derretendo, e pode derrubá-lo. O castigo virá, e tem que ser rápido, antes que destruam tudo no país e a vida da população!

Veja mais sobre a crise e o fechamento da UFRJ AQUI.

Veja AQUI pesquisa sobre a desaprovação do governo.

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault