Aconteceu no SINESP
0
0
0
s2sdefault

24º Congresso SINESP - 28 de setembro a 01 de outubro de 2021

“GESTORES EDUCACIONAIS: O DESAFIO DE ENFRENTAR O CAOS IMPOSTO À EDUCAÇÃO PÚBLICA”

Inscrições AQUI ampliadas até 24 de setembro de 2021.

A taxa de inscrição é de 120,00. Há duas opções pra o pagamento:

1- Faça depósito identificado do valor na Conta Corrente do SINESP, CNPJ 68.486.943-0001-00, no Banco do Brasil, C/C 280992-3, Agência 303-4, e envie o comprovante pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

2- Pague pelo aplicativo PagSeguro - Clique AQUI.

OBS: Evento com dispensa de ponto - INSTRUÇÃO NORMATIVA SME Nº 2, DE 05/02/2021 - Publicado no DOC de 06/02/2021 – p. 11 

A Educação Pública brasileira insere-se em um contexto (político, social, econômico e cultural) amplo, complexo e incerto. As políticas públicas em execução estão relacionadas às influências políticas nacionais e internacionais. Por estarem vinculadas umas às outras de forma inerente, exigem reflexões no campo educacional. Somadas ao caos provocado pela pandemia da COVID-19, impõem aos Gestores Educacionais o enfrentamento de gigantescos desafios e dilemas para organizar as Unidades Educacionais da Educação Básica. Com foco nesse cenário, em sua 24ª edição, o Congresso do SINESP traz o tema central “GESTORES EDUCACIONAIS: O DESAFIO DE ENFRENTAR O CAOS IMPOSTO À EDUCAÇÃO PÚBLICA”. Tem como objetivo suscitar reflexões sobre assuntos que nos afetam diariamente. Grandes serão as contribuições e, como resultado, esperamos reafirmar posições e dispor de novos caminhos a trilhar na garantia do direito à Educação Pública inclusiva, equitativa e de qualidade.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE!  A presença exigida para certificação é de 100%, conforme: EDITAL SME Nº 01, DE 29 DE JANEIRO DE 2021. SME/COPED/NTF–2021 e INSTRUÇÃO NORMATIVA SME Nº 2, DE 05 DE FEVEREIRO DE 2021

 

PROGRAMAÇÃO

Dia 28 de setembro - 3ª feira

Manhã – Teatro Gazeta

●8h30 - Abertura do Credenciamento

●9h00 - Boas vindas / Acolhimento

●9h30 - Abertura solene

Midria●10h30 - Apresentação Apresentação Cultural: Educação e Poesia, caminhos de emancipação - com Midria da Silva Pereira

Midria é paulistana da zona leste, poeta, slammer, estudante de Ciências Sociais na USP, estudou exclusivamente em escola pública, filha poética do Sarau do Vale e slammaster do Slam USPerifa. Presente de maneira ativa na cena de poesia falada desde 2018, no mesmo ano viralizou com sua poesia “A Menina que Nasceu sem cor” recitada no programa “Manos e Minas” da TV Cultura. No ano de 2020 lançou seus dois primeiros livros, “A Menina que Nasceu sem Cor”, com poemas de seus primeiros anos de participação nos slams, e uma adaptação infantil de mesmo nome pela Editora Jandaíra. Em 2021, integrou a coletânea de contos “Carolinas” organizada pela FLUP, sendo um dos rostos da nova literatura negra brasileira.

DraIracema●11h00 - Conferência de abertura: Gestores Educacionais: o desafio de enfrentar o caos imposto à educação pública - com Profa. Dra. Iracema Santos Nascimento.

Profª Doutora de graduação e pós-graduação na Faculdade de Educação da USP. Ministra as disciplinas de Coordenação do Trabalho na Escola; Política e Organização da Educação Básica; Relações de Gênero e Educação. Na Pós, coordena a área de concentração Estado, Sociedade e Educação. Seu principal tema de pesquisa e atuação é Gestão Democrática da Educação e Diversidade, com foco em raça, classe e gênero, a partir das perspectivas de teorias críticas e decoloniais.

Buscamos tratar de assuntos voltados para: os projetos de transformação do Estado que colocam em risco a Educação Pública, os direitos dos servidores e o serviço público em geral; reformas políticas e seus impactos no cotidiano das escolas como a educação não presencial, a educação domiciliar, a escola militarizada. Os inúmeros desafios, voltados para formação, condições de trabalho, saúde dos trabalhadores da Educação, problemas decorrentes das desigualdades sociais para os educandos e sociedade em geral, FUNDEB, PNE, entre outros. Como resistir/enfrentar o arranjo de propostas de sucateamento da rede pública e de desvalorização do servidor público e garantir o direito à educação de qualidade para todos e todas.

Mediadores: Denise Regina da Costa Aguiar e Christian Sznick

●12h30 - Almoço

Tarde – Teatro Gazeta

●13h30 - Plenária de Abertura - Aprovação do Regimento do Congresso

Andres●14h00 - Palestra: Ciberpopulismo – política e democracia no mundo digital, como a Educação pode contribuir para sair da falácia da demonização e da polarização - com Andrés Bruzzone.

Brasileiro nascido na Argentina, Andrés Bruzzone é mestre e doutor em Filosofia pela USP com tese em Filosofia da Comunicação. Foi jornalista e correspondente em Paris. Foi diretor da Abril e consultor. Contribui na virada digital de empresas de comunicação no Brasil e em outros países. Fundou a Pyxys - Inteligência Digital, da qual é CEO. Pyxys se posiciona como uma empresa de comunicação digital orientada à inovação desde o seu modelo de gestão baseado em valores.  Em maio de 2021, lançou Ciberpopulismo - Política e democracia no mundo digital (Ed. Contexto) e deu início a uma série de conversas no formato de live com figuras da cultura e do pensamento. Eugênio Bucci, Jean Wyllys, Denise Fraga, Marcelo Laham, Gonçalo Marcelo e Felipe Giménez, entre outros, já participaram desses diálogos, que buscam compreender os caminhos da construção de um pensamento coletivo em tempos de ruptura da comunicação. Velejador oceânico, iniciou em 2018 uma volta ao mundo sozinho no seu veleiro, Endeavour.

O ciberpopulismo é a combinação eficiente de técnicas de propaganda do século XX com as possibilidades abertas pela tecnologia no século XXI. Como hoje as redes sociais são a praça pública, é desse ambiente virtual que vem o novo na política. E isso inclui o velho populismo repaginado. Replicando a velocidade do avanço tecnológico, o ciberpopulismo já começou a causar alterações estruturais nos países e na geopolítica. A polarização é cada vez mais comum. Qual sua relação com a escola? Como a Educação pode contribuir para manter a democracia saudável?

Mediadores: Rosana Capputi Borges e Rui Ferreira da Silva Junior

 

29 de setembro – 4ª feira

Manhã – Teatro Gazeta

●09h00 – Acolhimento

●Palestras por eixos temáticos:

Eunice 2●10h00 - Riqueza da Diversidade: Direitos Humanos no Brasil: situação atual e possibilidades de atuação na esfera educacional - com Profa. Dra. Eunice Aparecida de Jesus Prudente

Graduada em Direito pela Universidade de São Paulo–USP (1972), mestre em Direito pela USP (1980) e doutora em Direito pela USP (1996). Atualmente é professora da Faculdade de Direito de São Paulo, professora titular da Faculdade Zumbi dos Palmares (afastada), professora da Universidade de São Paulo e comissão de direitos humanos da USP. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito do Estado, atuando principalmente nos seguintes temas: direitos humanos, cidadania, direito, negros - Brasil e interseccionalidades entre gênero e etnia. Tem vários artigos publicados, sendo autora da primeira tese que propõe a criminalização da discriminação racial, aprovada em 1980 e publicada no livro “Preconceito Racial e Igualdade Jurídica: a cidadania negra em questão” em 1989. Atualmente além da docência, integra coletivos negros e exerce desde janeiro de 2021 as funções de Secretária Municipal de Justiça na cidade de São Paulo.

Buscamos tratar de assuntos voltados para: a participação e controle social no Estado sob a perspectiva da equidade. Situação dos segmentos sociais em desvantagens na nossa sociedade como mulheres, negros, população LGBT, jovens, indígenas, rurais, imigrantes, entre outros. Analisando também a capacidade destes grupos e seus representantes de influenciar as políticas públicas, resultando em alterações positivas das agendas públicas. Atuação propositiva das Escolas. Direitos e resistências.

Mediadores: Getulio Marcio Soares e Janete Silva Oliveira

Andressa●11h00 - Valorização do trabalhador: Com quantas reformas se deforma o serviço público? - com Profª. Doutoranda Andressa Pellandra

É coordenadora geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação. É doutoranda em Relações Internacionais (IRI/USP). Pós-graduada em Ciência Política (FESP/SP) e é bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo (ECA/USP) Pesquisa advocacy e grupos de interesse na educação, financiamento e privatização da educação, e processos e atores da educação no cenário internacional.

O objetivo dessa palestra é abordar os efeitos arrasadores das medidas/reformas do Estado (administrativa, tributária, previdenciária, trabalhista) na Educação Pública e para a sociedade em geral.

Mediadores: João Aberto R. de Souza e Márcia Fonseca Simões

●12h00 – Almoço

Tarde – Teatro Gazeta

●13h30 - Sorteio

●Palestras por eixos temáticos:

Magali●14h00 - Repensando o currículo:  Por um currículo viável no espaço público educacional: realidades e perspectivas - com Prof. Dra. Magali Aparecida Silvestre

Pedagoga, Doutora e Mestre em Educação. Professora da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Responsável pela disciplina Planejamento e Avaliação Educacional e preceptora do Programa de Residência Pedagógica. Pesquisadora na área de Formação de Professores e egressos do ensino superior e pós-graduação. Por mais de 15 anos trabalhou em escolas públicas da rede estadual e municipal de São Paulo. Foi Diretora da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, da Unifesp, Campus Guarulhos - gestão 2017-2021. Atualmente é Secretária Regional Sudeste da Associação Nacional Pela Formação de Profissionais da Educação - Anfope - gestão 2021-2023. Realiza Residência Pós-Doutoral no Programa de Pós-Graduação em Educação, Doutorado Latino Americano da UFMG.

O objetivo dessa palestra é abordar alguns temas relacionados ao papel da Educação Básica diante das demandas atuais; a reestruturação do trabalho docente e da gestão; desigualdades sociais, a intensificação da precarização das condições de trabalho dos profissionais; Proposta de Matriz Nacional Comum de Competências do Diretor Escolar do MEC e seus efeitos na formação dos profissionais de educação. Reflexões para resistir a esses tempos tão sombrios (pandemia, políticas desordenadas, propostas de reformas neoliberais). Como os gestores educacionais (diretores de escola, assistentes de diretor, coordenadores pedagógicos e supervisores de escola) podem colaborar com a construção de propostas/ações pedagógicas comprometidas uma sociedade justa e democrática?

Mediadoras: Douglas Eduardo Rosa e Letícia Grisolio Dias

Daniel●15h00 - Gestão educacional:  A gestão da escola democrática em um contexto político não democrático: desafios e tensões - com Prof. Dr. Daniel Cara

Doutor em Educação (Universidade de São Paulo - USP), mestre em Ciência Política (USP) e bacharel em Ciências Sociais (USP). Foi coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação (jun/2006-mar/2020). Tem experiência de pesquisa nas áreas de Educação, Ciência Política, Economia e Sociologia. É Professor da Universidade de São Paulo desde março de 2020. É membro do Conselho Universitário (Consu) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O intuito desta palestra é tratar de temas como: os gestores da escola pública têm enfrentado obstáculos políticos, organizacionais, também históricos e culturais, que têm dificultado a concretização de uma gestão democrática. Temos sido confrontados com projetos e medidas que atacam formação continuada em gestão escolar, trabalhos práticos e resoluções coletivas. Além disso, convivemos, muitas vezes, com a inexistência de regras/orientações claras e coerentes por parte dos governos, morosidade na realização e chamada de concurso publico. São exemplos: desrespeito aos conselhos de escola/CRECE, autoritarismo, falta de escuta e diálogo, suspensão de projetos como PEA (Projeto Especial de Ação, em horário de formação coletivo); propostas como o *PL 486/2021 (da câmara municipal de são Paulo), que visa entregar à iniciativa privada a Gestão Educacional da RME-SP.

Mediadores: Flordelice Magna Ferreira e Rosalina Rocha Miranda

 

30 de setembro – 5ª feira

Manhã – Cine Reserva Cultural

●8h00 às 09h00 - Acolhimento

●9h00 - Discussão por eixos temáticos:

● Valorização do Trabalhador e Riqueza da Diversidade - sala 1 vermelha

● Riqueza da Diversidade e Gestão Educacional  - sala 2 azul

● Gestão Educacional e Repensando o Currículo - sala 3 prata

● Repensando o Currículo e Valorização do Trabalhador  - sala 4 verde

●12h30 – Almoço

Tarde – Teatro Gazeta

●13h30 - Sorteio

Clovis●14h00 - Conferência final: A vida que vale a pena ser vivida – com Prof. Dr. Clovis de Barros Filho

Doutor e livre-docente pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Palestrante há mais de dez anos no mundo corporativo, consultor e autor de mais de 15 obras.

Viver é um desafio. Diante de nós, sempre apresentam-se inúmeras possibilidades. Ser humano é ser ético, pois ética é a atividade de escolher a melhor vida a viver. Nesta palestra, ética, felicidade, comprometimento e qualidade são trabalhados num encadeamento de ideias capaz de mover e comover (Espaço Ética).

 

01 de outubro – 6ª feira

Manhã –Teatro Gazeta

MonteCastelo●9h00 - Acolhimento

●9h30 - Plenária de votação

●11h30 – Plenária de Encerramento

●12h30 – Almoço

Tarde – Teatro Gazeta

●14h00 - Atividade Cultural: Tributo à Legião Urbana com a Banda Monte Castelo

A banda Monte Castelo se dedica a manter viva a memória da Legião Urbana nos palcos, buscando com sua performance e musicalidade representar a essência deste que é considerado o maior fenômeno do rock nacional da década de 1980, se não de todos os tempos!

 

Cartaz 24Congresso SINESP Site 1

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault