O SINESP condena, veementemente, a ação violenta e repressiva da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) aos estudantes e professores que se manifestavam, de forma democrática, contra o projeto que visa a implementar no estado as escolas cívico-militares.

A ação policial dessa terça-feira, 21 de maio, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) é inaceitável, porque viola o direito constitucional à livre manifestação.

É lamentável que essa proposta de doutrinação do governo Tarcísio de Freitas seja votada e aprovada na Alesp, mas é mais lamentável ainda a forma com que o governo estadual tenta impor suas decisões sem levar em conta os interessas da população, que tente impor a implementação das escolas cívico-militares sem dar aos principais interessados a oportunidade de se manifestarem sobre o projeto.

O SINESP se solidariza com os estudantes detidos e com os que sofreram violência policial e lamenta que tenhamos que nos deparar com práticas antidemocráticas do Estado, que não respeitam o direito à livre manifestação e que, com repressão policial, tentam calar quem se opõe.

Liberdade aos estudantes, liberdade ao povo para se manifestar.

Ditadura nunca mais!

0
0
0
s2sdefault