Aconteceu no SINESP
0
0
0
s2sdefault

Vagas virtuais, Pacto Educativo Global, Audiência das Antenas e Wi Fi nas Unidades Educacionais foram alguns dos demais temas tratados

O SINESP em defesa da Educação Pública de Qualidade, Segurança à Vida e da atuação dos Gestores Educacionais esteve presentre no dia 01 de julho de 2021 na 7ª Reunião do Comitê Emergencial de Crise da Educação. Entidades populares de defesa do MOVA, da Educação Infantil, outros sindicatos e representantes das famílias igualmente estiveram presentes no debate. 

Marcia Fonseca Simões Vice Diretora de Imprensa do SINESP e Presidente do Conselho de Alimentação Escolar CAE explanou a importância do cartão merenda, porém o mesmo tem baixo valor creditado às famílias e custo benefício que tem sido alto.

A manutenção do programa cesta saudável é um tema em debate pelo Conselho de Alimentação Escolar para ser continuado ao considerar a qualidade dos alimentos, a inserção de produtos da agricultura familiar e a consequente ampliação da segurança alimentar com o uso de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

Existe uma preocupação quanto a merenda solidária que vem sendo implementada pela Secretaria Municipal de Educação por ser um programa que inicialmente utilizaria as eventuais sobras do alimento preparado diariamente nas Unidades Educacionais. A alteração verificada em algumas Unidades Educacionais indicam a criação de um kits de alimentos a ser entregues pelas Unidades Educacionais a um grupo de famílias. Isso traz a preocupação com a integridade de todos os Profissionais de Educação envolvidos. Márcia enfatizou a preocupação do uso dos recursos financeiros e a necessidade de ter a participação de outros entes Governamentais como a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social pelas caracteristicas do Programa.

O SINESP é membro atuante na organização Estadual Paulista do Pacto Educativo Global, movimento mundial que envolve organizações sociais da Educação além do Sindicato a Ação Educativa, Instituto Paulo Freire. Foi apresentado ao Comitê de Crise Emergencial da Educação a discussão da segurança alimentar que vem sendo discutida no Pacto e a necessidade de se estruturar uma Educação Social voltada a humanização e a preocupação sócio emocional das famílias, estudantes e dos Profissionais de Educação.

Marcia enfatiza a luta do SINESP, como membro integrante do Pacto Global para garantir e potencializar a voz dos Profissionais de Educação que estão no chão da escola, na construção de políticas públicas que se traduzam em práticas educativas plurais e humanizadoras que acolham efetivamente educandos e Profissionais de Educação.

Confira a manifestação dos Dirigentes do SINESP na Reunião

A audiência pública sobre as antenas na Cidade de São Paulo foi trazido na discussão, juntamente com o Plano de Metas que traz entre elas a ampliação da rede Wi Fi nas Unidades Educacionais  da Secretaria Municipal de Educação por Christian de Mello Sznick, Diretor de Imprensa do SINESP e membro do Fórum Estadual de Educação. A entrega de tablets sem chip de dados para uso pedagógico no Ensino Fundamental acaba perdendo eficácia pela ausência/ insuficiência de redes de Wi Fi em muitas EMEF/EMEFM/EMEBS e na Educação Infantil outros usos acabam também não se efetivando.

Os contratos de lavanderia não contemplam os babadores dos berçários e os problemas em operalização nos CEI/CEMEIs foram apresentados além de novamente serem criadas vagas virtuais nos berçários da Rede Municipal de Educação para atendimento de uma demanda sem um planejamento adequado e olhar pedagógico efetivo por parte da Secretaria Municipal de Educação

Sznick manifestou a equivocada ação da Administração com a edição do Decreto 60336/21 que trata do final do teletrabalho e que autoriza o retorno às atividades presenciais dos servidores públicos municipais já vacinados contra a Covid-19, uma vez que não foram publicadas instruções normativas específicas nem orientações sobre como se dará esse retorno aos Profissionais da Educação, sem participação das Entidades Sindicais no processo de discussão oou consideração da aglomeração junto às Unidades Educacionais. 

Rosana Capputi Borges Diretora de Eventos Educacionais do SINESP complementou que o Decreto 60336/20 traz a ausência da participação de Secretarias como a Saúde, ação de algumas Diretorias Regionais de Educação com informações de retorno imediata e com posterior solicitação para desconsiderarem a orientação que acabam gerando ruídos de comunicação desnecessários e no caso das vagas virtuais dos berçários   absorção dessas vagas quando as atividades presenciais voltarem plenamente, uma vez que há preocupação quanto a capacidade do município de atender todas essas crianças.

SINESP Junte-se com quem luta por você

Adicionar comentário


0
0
0
s2sdefault