Dirigente do SINESP discursa em audiência pública / Foto de André Bueno - Rede Câmara

Aconteceu no SINESP

Em falas na Audiência Pública sobre gastos com a Educação na cidade de São Paulo, Dirigentes do SINESP denunciaram o mau uso da verba pública destinada à Educação e a tentativa de privatização do Ensino Público Municipal

As Dirigentes Sindicais do SINESP Letícia Grisólio Dias e Márcia Fonseca Simões representaram o Sindicato na Audiência Pública da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de São Paulo, que debateu os gastos com a Educação na cidade. A SME não enviou nenhum representante, fato criticado por todos que compõem a Comissão.

O SINESP reforçou seu posicionamento inarredável em defesa do provimento de cargos públicos, especialmente na Gestão do Ensino Municipal, por meio de concursos públicos. Destacou, também, as dificuldades enfrentadas pela Gestão Escolar diante da falta de organização das autoridades para empregarem adequadamente a verba pública destinada à Pasta.

Sinesp em Audiência Pública

O que disse o SINESP na Audiência Pública:

Cobrou um melhor planejamento para o uso adequado da verba pública destinada à Educação Municipal;

Criticou o contrato de terceirização para fiscalização dos serviços de limpeza das Unidades Escolares (UEs), uma vez que a prefeitura já fiscaliza esses serviços;

Destacou falhas do uso da verba pública, detectadas nas visitas feitas pelo Conselho de Alimentação Escolar, principalmente nos CEIs conveniados;

Cobrou a melhoria dos serviços de internet das UEs, classificando-os como péssimos e explicando que se trata de um problema recorrente em várias unidades;

Explicou por que é importante a regulamentação da Lei 17.232/2019, que trata do horário de estudo para os Gestores Educacionais. O SINESP destacou a importância de que isso ocorra em locais de livre-escolha, pois contribuirá para a excelência do trabalho pedagógico,  e reforçou que não haverá impacto orçamentário para a Prefeitura; 

Reivindicou a criação de uma tabela específica de vencimentos para Gestores Educacionais. O Sindicato reafirmou que essa medida visa à correção da perda salarial que os Gestores sofrem quando deixam a sala de aula para assumir cargos de Gestão;

Citou a Portaria 285 – que atualizou o valor per capita para a rede parceira – para lembrar que a categoria está em Campanha Salarial juntamente com o Forum das Entidades e cobrou o reajuste salarial condizente com a situação que o país atravessa;

Pediu mais transparência em publicações feitas no Diário Oficial da Cidade de São Paulo sobre reformas, reparos e manutenções a serem feitos nas UEs, uma vez que nem as UEs e nem as DREs possuem descritivos desses reparos;

Enfatizou que é defensor inarredável da entrada na carreira de Gestor Educacional por meio de concurso público e sempre irá denunciar a tentativa de entrega da Educação Municipal para as mãos das OSs, fato observado na discussão do PL 573/2021.

(Clique aqui e entenda essa tentativa sórdida de privatizar o Ensino Municipal com o PL 573/2021)

Essas e outras pautas serão defendidas pelo SINESP no grande ato do Fórum das Entidades, que ocorrerá no próximo dia 18 de maio (quarta-feira), às 15h, em frente à Prefeitura de São Paulo. É importante o comparecimento de todos para que a categoria tenha êxito na Campanha Salarial e na defesa dos direitos do Funcionalismo Público. Compareça!

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

0
0
0
s2sdefault